Pesquisar neste blog e nos da lista

domingo, janeiro 10, 2010

Revanchismo por decreto

lula_ditador2

 

Não é difícil perceber que países com governo ditatorial, como forma sub-reptícia de conquistar a simpatia do mesmo povo que prende em caixas de fósforos de opções e liberdades, costumam colocar em seu nome termos que incluem esse povo, como, por exemplo a República Popular da China ou República Democrática Alemã, que era justamente a metade alemã sob o jugo soviético.

Não é à toa, portanto, que o Item I do Parágrafo 2° do Decreto N° 7.037 ou Eixo Orientador do dito cujo: Interação democrática entre Estado e sociedade civil.

Onde está a interação democrática se o tal decreto foi costurado nos escurinhos dos gabinetes do subchefe de assuntos jurídicos da Presidência da República e da ministra da Casa Civil? Se houve a tal “ampla discussão com a sociedade”, como diz o mui mal intencionado Vanuchi, ela se deu em foros da esquerda, sem a ampla participação popular e sem que em seus programas tenha ficado explicitado que das discussões românticas, utópicas e revanchistas sairiam os artigos, parágrafos e alíneas de uma constituição feita por meia dúzia para subjugar duzentos milhões.

Ao utilizarem os termos “democrático” e/ou popular, os ditadores sabem que seu autoritarismo não se coaduna com o modus vivendi de cidadãos do século 20, quando esse expediente entrou em moda, e nem do século 21, em que a Venezuela de Chávez sofre um paulatino golpe de estado, sistematicamente copiado e aprimorado por seus vizinhos.

Aproveitando-se da vaidade do presidente, seus assessores e conselheiros mais inteligentes vêm fazendo do Brasil seu quintal. Não são poucas as vezes, nesses sete anos de governo, que o presidente diz desconhecer medidas tomadas pelo seu governo. Do mensalão até este decreto, a desculpa da ignorância apareceu muito mais vezes do que poderia ser considerado razoável, em se tratando do mandatário que é comandado pelos a quem deveria comandar.

José Dirceu, Greenhalgh, Marco Aurélio Garcia, Dilma – cada vez mais – e o Göebels poderoso e vingativo, redivivo na figura despótica de Franklin Martins, são algumas das luas pardas que agem como titeireiros do boneco Lula. Manobram com sua ladainha escorregadia o gosto pelas câmeras e pelos jornais que inflam o ego do presidente e o fazem assinar o que bem desejam. A ignorância, a burrice política e histórica de Lula o deixam à mercê de seus manobristas, como reféns das vontades dessa tropa, ficamos nós, cidadãos desunidos.

Com a pecha de democracia representativa, também defendida no tal decreto, usa-se de uma redundância para dar forma às más intenções autocráticas. A democracia, definida como regime “do povo, para o povo e pelo povo” é, per si, representativa, óbvio. Os eleitos o são para nos representar. Não há democracia representativa, ou ela é democracia ou não. O sendo, já é representativa. Mas o enriquecimento lingüístico da expressão é uma outra mania desses legisladores do Executivo para incluírem “o povo” em decisões das quais ele foi excluído.

Entre os muitos absurdos que prega o decreto, um que vem chamando muito a atenção, é a terceira ou quarta tentativa desse governo de calar a imprensa que não lhe agrada. Já na primeira semana depois da posse, criou-se, pela imprensa amiga do Palácio do planalto, a terminologia PIG, Partido da Imprensa Golpista, para incluir qualquer veículo ou jornalista que se opusesse ao todo ou em parte às decisões do governante-mor ou de sua curriola. Até simples blogueiros passaram a ser incluídos nesse PIG pela imprensa amiga-remunerada, pelos partidários idiotas úteis, pelo próprio presidente ou pela turma que ouve o galo cantar, mas não sabe onde, como definia os Maria-vai-com-as-outras o grande Stanislaw Ponte Preta.

As tentativas anteriores frustradas, não foram suficientes para acalmarem a fúria de Dima, Martins, Dirceu e o próprio Lula, em calar que ousasse levantar a voz contra a ditadura que se estabelece paulatina e vagarosamente. Pois o tal decreto prevê o fechamento de jornais e revistas e a cassação das concessões de exploração de canais de rádio e televisão quando determinado veículo transmitir programa ou notícia que contrarie a vontade do poder central, fantasiado de “interesse público”. Lembra a marcha da Tradição, Família e Propriedade que apoiou profundamente o golpe de 64 e que foi muito criticada por essa mesma esquerda que a repete.

Por mais que negue o revanchismo - e falar a gente fala o que quiser, se há verdade nas palavras, é outra história – ele está explícito no documento e dá-se justamente por ter Lula provado da aprovação popular. A população começa a confundir - depois de muito esforço do ministério e da imprensa amiga - PT, Lula e governo. Tendo Lula 80% de aprovação popular, misturaram os três no mesmo caldeirão e utilizam-se dessa confusão popular para aplicarem seu socialismo. Se Brizola já falava no socialismo marrom, referindo-se ao socialismo que queria criar aos moldes brasileiros, a equipe inteligente, porém mal intencionada, traçou sua linha programática.

Num país em que até assassinato prescreve, pelo Código de Processo Penal em vigência, como justificar que a esquerda raivosa tente prescrever a Lei da Anistia e ressuscitar atos ilegais por parte dos governos de então, mais antigos que a própria Lei que os anistiou? Pior, por que só determina a investigação de crimes praticados pelos agentes do governo e não pelos praticados pela própria esquerda? Essa, aliás, tem sido uma característica muito forte no governo petista: a discriminação, o separatismo, a cisão entre classes, cidadãos e ideologias. Já jogaram pretos contra brancos; índios contra citadinos; pobres contra ricos... E assim tem-se mostrado nas sublinhas do decreto, criando discriminações contra seus opositores e os situacionistas. Um governo eleito para presidir para todos os brasileiros, teima em separar a população entre brasileiros e golpistas. Dá-nos um golpe atrás de outro e se fantasia de vítima.

Haviam várias esquerdas no período de exceção e hoje ela se divide em três: a que está contra o revanchismo, portanto vista como traidora pela situação; a completamente ignorante que vai para o lado que a maré bater, repetindo palavras de ordem e os discursos dos mandatários; e a que elabora o golpe à sociedade, capitaneada por Vanuchi e Dilma.

Não existe revolução essencialmente popular. Ela não ocorreu na Rússia de 1917, nem na China de Mao, nem em Cuba em 1959 e nem na marcha dos caras pintadas contra Collor em 1992. Todas as revoluções foram orquestradas por pequenos poderosos que ansiavam pelo grande poder. Aqui se desenha uma revolução socialista sob a batuta dos socialistas maquiavélicos, inteligentes, raivosos e vingativos. Usa-se a massa de manobra popular, alienada e ignorante e os donos do capital que sustentam qualquer governo, independentemente de ideologia, desde que mantenha o lucro (ironia os socialistas usarem os mais capitalistas para imporem sua revolução) para massacrar qualquer opinião contrária. Não se assustem se, depois de estabelecida essa república sindicalista ditatorial, voltarmos a falar de política a portas fechadas com medo dos alcaguetes e da polícia política que se formará (aliás, ela já existe desde que o PT é PT, apenas não foram lhes dadas as braçadeiras negras que lhe dão poder de prender, bater, cassar e matar a oposição).

O plano vem em forma de um decreto, ferramenta ditatorial tão combatida por todas as esquerdas quando eram oposição e os generais o utilizavam para comandar o país.

Os governistas lançaram o balão de ensaio de uma constituinte há alguns meses. Muito provavelmente esse projetão já estivesse montado e pronto para ser apresentado aos parlamentares como esboço da nova Constituição Federal. Como a idéia de uma Assembléia Nacional Constituinte foi, de pronto, rechaçada por boa parte da imprensa e pela parte da população que pensa e, por isso mesmo, viu desenhado o golpe que se armava, a camarilha parda que se esconde sob a saia da ministra-candidata resolveu fazer sua própria constituinte e conseqüente constituição, socialista, irada e revanchista.

 

 

©Marcos Pontes

 

P.S.: Esse texto será enviado por e-mail a todos os senadores.

P.S. 2: Quem se interessar em ler o Decreto na íntegra, o endereço é este.

18 comentários:

PensadoresFalam disse...

Muito bem escrito e fundamentado, Caro Marcos. Principalmente quando se comenta a prática em si do decreto.

Penso que, infelizmente, ficaremos fartos neste ano eleitoral de 2010 com opiniões, ações e decretos do governo que tentam "abraçar" TODAS AS FACÇÕES e ideologias que os apoia. Será um festival de antagonismos e paradoxos, como é a base que sustenta o governo.

Se esse decreto tenta agradar os radicais do PT que se encontram "escondidos" pela conveniência, aguarde para ver outros estatizadores (PCdoB), negociadores (PMDB) e daí pra mais.

Abraços,

PensadoresFalam

Bea - Compulsão Diária disse...

Esplêndido texto capaz de desmontar as intenções de um grupo. É clara a tentativa de empurrar goela abaixo dos brasileiros uma nova constituição.
Não li o decreto mas escutei e li comentários de que se trata de uma Constituição. é um texto enorme e cheio de anexos prevendo controle desde invasão de terra até mediação do trabalho das cantanheiras do Pará.
O que mais me preocupa, Marcos, é que a dita oposição é farinha do mesmo saco. As diferenças são mínimas.

as tais facções estão enlaçadas por debaixo dos panos.
Fernando Henrique e seu pau mandado José Gregori acabaram com quqer traço de autoridade (não autoritarismo pq esse continua) no Brasil.
então a coisa tá muito mais complicada a meu ver porque com uma modifucação aqui outra acolá esse decretão passa e nós nos prejudicaremos.
Não há oposição verdadeira aqui.

A não ser alguns militares quem vai frontalmente contra esse "golpe". discordam de parágrafos, de detalhes e não do decreto como um conjunto de medidas autoritárias que visam garantir os próximos 40 anos de poder fazer o que eles consideram certo para o "povo".

Grande texto.

E mande para os Senadores, para os amigos. É preciso falar agora.

Bea - Compulsão Diária disse...

Mais ainda, sob o pretexto de recuperar a história o que se pretende é glamurizar a figura da candidata mascarada.

Marcelo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vera Lucia disse...

Excelente como sempre!
Ontem eu comentava que esse golpe é contra a Democracia , contra a Liberdade de Imprensa e contra a Liberdade do nosso Povo que tiveram a precaução de desarmar...O PNDH-3 é mais um passo na construção do desejo histórico desse governo em instituir doutrinas ultrapassadas marxistas-leninistas. Me pergunto onde estão os tais consultores dos “movimentos sociais”? Aguém foi consultado a respeito de alguma coisa? O problema é que o Brasil atual tem governo demais e oposição de menos.

Um abraço meu querido Marcos.

Veluca disse...

Excelente artigo Marcos. É preciso que ele seja publicado em mais sítios da internet. Vou sugerir a alguns amigos a publicação, posso?
Não tenho nada a acrescentar ao que você escreveu. Você disse tudo o que eu queria ter dito.
Parabéns!
Abraços
Vera

OLIVACI JÚNIOR disse...

parabéns pelo post.

Cejunior disse...

Excelente! Pode ser até preconceito meu mas, qualquer coisa vinda da cabeça de Tarso Genro, Vanuchi, Zé Dirceu, Franklin Martins e outros idiotas do gênero só pode dar nisso. São golpistas saudosos de um tempo que passou, ficou perdido na história. É uma gente que vai se aferrar ao poder e, com certeza, provocar uma imensa confusão se essa senhora Dona Dilma, que é da mesma laia, resolver bancar todas essas "reformas".

Ou seja, quanto mais o circo pegar fogo, mais esses camaradas gozam!

Pedro Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Rodrigues disse...

É de se buscar o que há por trás do tal decreto;
a incompetência tem motivado o uso da técnica de assinar sem ler e publicar coisas que serão depuradas pela sociedade e pelos atingidos, para se chegar,afinal, no que desde o início se pretendia
ou
põe-se bodes na sala, para criar um quadro negro para os observadores, retirando-se os bodes depois para mostrar como "tudo ficou bem", retornando-se ao estado anterior que todos já terão esquecido.

Quanto alguns privilegiados amigos do rei ganham nas bolsas após forçarem certas oscilações?

Quanto ganham os rábulas amigos do poder defendendo/promovendo ações de milhõe$ sobre assuntos já pacificados?

Quem são os que, sob a poeira dos s/terra, tem se apropriado de áreas equivalentes a países dentro 'deste país'?

Tem razão, caro Marcos, não haverá revoluções feitas pelos preguiçosos hipnotizados pelas bolsas isso & aquilo.

Abraços,

Pedro Rodrigues

Saramar disse...

Este foi o melhor artigo que li sobre o sinistro "plano".
Permita-me indagar: Luiz Inácio é um fantoche como suas atitudes indicam, ou esta imagem é mera ilusão para que o julguemos inofensivo?
Esta é uma dúvida que tenho, desde sempre. Saberemos disto só muito mais tarde?

beijos

P.S. Marcos, não por esquecimento, só hoje estou vindo desejar feliz ano novo aos meus amigos. Espero que aceite, pois afinal, ainda é janeiro, tempo de desejar.
Desejo-lhe mais do que já o encanta e o faz feliz.
Desejo que esteja forte, quando a força for necessária, como sempre você é.
Desejo que continue sensível, como sempre você é, e que suas palavras, em verso ou prosa, continuem encantando e ensinando, como sempre.

FELIZ ANO NOVO.

Gláucia Franchini disse...

Olá, Parabenizo pelo artigo, a escrita é limpa e os argumentos se encadeiam de forma orquestrada.

Tive acesso ao blog do senhor através da Vera Lúcia, que além de sugerir a leitura propôs a divulgação no meu blog. Tomei a liberdade de publicá-lo, embora não podia deixar de constatálo. Li que ela pediu a permissão, por isso o fiz.
A análise do senhor é muito pertinente, e por isso achei adequado reproduzir trechos do artigo, pois informações deste calibre devem ser compartilhadas.

Agradeço o comentário do senhor em meu blog, espero manter este contato. Através de nossos artigos podemos discutir vários assuntos, pois os debates mesmo quando se divergem nos ensinam muitas coisas.
Fico feliz por conhecer mais este belo espaço de informação e opinião.

Fica o convite para ler novos artigos em meu blog, no qual as considerações do senhor serão sempre bem-vindas!

Muito Obrigada,
Gláucia.

Anita disse...

Mt bem, Marcos!
Aliás.. acho muito bom que o texto seja enviado AOS INTERESSADOS! Estamos juntos nessa!

Ronald disse...

Conforme cita alguns experts no assunto, o golpe é eleger a Dilma e o Lula voltar todo sorridente em 2014. Mas tendo ao seu lado pessoas como a Dilma, Tarso, Vanuchi, Dirceu e outros afoitos pelo poder, quem deverá levar o cano lá será o próprio Lula e daí, ele vai dizer que já sabia, pelo menos uma vez?

è atentativa de implantação da ditadura...

Feliz 2010

posturaativa disse...

Estão impondo de forma autoritária um remendo constitucional, um perigo para a democracia brasileira.

Anônimo disse...

Não é melhor vcs excluirem o blog, percebem agora o papel patético que fazem?
O Banco Central comprou US$ 783 milhões no mercado de dólar à vista em janeiro até o dia 8, o que elevou o montante das reservas internacionais para US$ 241,3 bilhões. Foi a primeira vez na história do país que as reservas ultrapassaram o patamar de US$ 240 bilhões.
Nunca antes neste país....

infinitopositivo disse...

Marcos,não há mais nada a dizer depois deste seu texto. Você sintetizou com extrema categoria e conhecimento de causa. Foi brilhante, digo.

Fica cada vez mais claro que o repertório alternativo dessa quadrilha do poder parece não ter fim. Quando são compelidos a enterrar um projeto eles aparecem com outro mais trágico.

Considerando o grande sonho de poder do PT (e porque não dizer da sede revanchista do seu líder), a impossibilidade (?) do 3º mandato vai trazendo à tona novas tentativas de perpetuação. O sonho é bem maior e nocivo do que sempre imaginamos.

O que nos resta se a oposição deixou de "trabalhar" pelas possibilidades de mudanças e o povo, como vc bem disse, se desuniu?

Ery Roberto