Pesquisar neste blog e nos da lista

quarta-feira, setembro 14, 2011

Mentiras à mancheia

mentira1

 

“Um iPad para cada aluno”, Fernando Haddad, um governo depois de ter prometido um note book para os mesmos estudantes.

“Quero ser julgado logo”, Zé Dirceu.

“Não me venham com novos impostos para a saúde”, Dilma.

“Eu não sabia de nada”, o ex, imortalizando a desculpa perfeita.

“O PIB vai crescer 3%, mas vou me esforçar para chegar a 4%”, Dilma, de novo.

“Eu não sabia que haviam desvios de conduta no ministério”, Pedro Novais, o virtual ex-ministro do Turismo, repetindo seu ídolo em não deixar rabo preso à mostra (mas deixou).

“Uma legenda não pode se comprometer por causa de uma pessoa”, Waldir Raupp, colocando a cabeça de Pedro Novais numa bandeja de latão para tentar salvar a imagem putrefata do PMDB, já comprometido por milhares de pessoas.

“Vou trabalhar pelo povo”, geral.

“Diminuiu a violência no estado”, Jaques Bêbado Wagner e Sérgio Mitômano Cabral, em uníssono.

“Você são verdadeiros heróis e heroínas. Cada meta atingida é um crime a menos e um cidadão salvo a mais “, o Mitômano na solenidade que deu prêmio de 50% aos policiais pela diminuição mentirosa da criminalidade, meses depois de rejeitar aumento por heroísmo real dos bombeiros.

“Aquecimento global”, Al Gora numa mentira recorrente, como se um dia a Terra tivesse temperatura e clima estáveis.

“A corrupção não é maior no governo petista, apenas passou a ser mais combatida pela Polícia Federal”, um mantra entre todos os vermelhinhos da base acéfala.

MST, uma das mentiras que vem ruindo aos poucos. Percebe-se, devagar, mas constantemente, que esses terroristas rurais querem renda e não terra.

Não são poucos e nem possíveis de serem elencadas sequer pela metade as mentiras da esquerda, dos incolores seus comparsas imóveis e da imprensa que reproduz os releases das assessorias de imprensa sem checarem os dados. Pior, muitas das mentiras proferidas são tidas como verdades pelos seus emissários.

Já dizia Chesterton, “nunca discuta com um louco, ele sempre tem razão”. Não entenda mal, sábio leitor. A razão do louco está em sua própria loucura e não se sustenta na realidade. O filósofo Olavo de Carvalho chama a isso de paralaxe cognitiva.

A diferença entra as “razões dos loucos”, de Chesterton, e a paralaxe cognitiva, de Carvalho, está na intenção. As mentiras de nossos dirigentes e seus asseclas vermelhos podem ser razões de loucos, se o sujeito deveras acredita nas mentiras que fala e aí há uma intercessão com a paralaxe cognitiva. Porém, quando a mentira tem o propósito de enganar, é um engodo previamente planejada e tem propósitos escusos para a massa privada do poder de análise e interesse, deixa de ser razão de louco, mas safadeza de sãos.

Mentir sobre uma prática ideal, como por exemplo a lisura no exercício da atividade pública, enquanto se beneficia da fortuna da viúva é a paralaxe cognitiva em sua essência. E assim se comporta a quase totalidade da esquerda.

Os caras ignoram a realidade, o senso crítico exterior, as diferenças entre o discurso e a prática e tentam proliferar suas mentiras pelo país e pelo mundo – vide Barak Obama, Al Gore, Zapatero, Fidel Castro...- contando com a ignorância coletiva. Pior, conseguem.

Gramscianamente criaram o politicamente correto, levando a massa ignara a tratar aqueles que saem dos trilhos traçados por esse mundo certinho de Hollywood ou das novelas globais, dos democratas americanos e dos petistas brasileiros, da revista Caras e das entrevistas das celebridades nescafé, aquelas que são feitas em três minutos e consumidas de um gole, de maneira mais cruel do que eram tratados os leprosos nos tempos de Cristo. Aliás, não existem mais leprosos, agora são apenas hansenianos.

O grande legado de Maluf, maquiavelicamente justificado, foi o “rouba, mas faz” e esta práxis generalizou-se de cima para baixo e o rebutalho humano que é roubado repete a defesa dos ladrões que o presenteia com uma rua asfaltada ou uma escola pintada de branquinho.

Na era lulista e, queira Deus, pós-lulista em andamento, o “rouba, mas faz” foi substituído por “mente, mas acaba com a pobreza” e o terrível “farinha pouca, meu pirão primeiro”.

 

©Marcos Pontes

15 comentários:

Beatriz disse...

Marcos, parabéns!

Texto necessário! você é preciso ;)) direto, e brilhante na sua compreensão da realidade e nos ajuda a entendê-la. Sim! Não existe cada um entender a realidade do seu jeito. Você é sincero com seu leitor e com você. Busca a verdade mesmo que ela seja doída, sofrida.
Vivemos essa demência em que cindimos a realidade entre o que observamos e a construção linguística que fazem os formadores de opinião. A realidade não é um discurso...lepra não deixa de ser lepra porque , hoje, o certo é nomear hanseníase. Os sintomas, o sofrimento ´são os mesmos.

O Brasil é o Brasil e não uma promessa petista!

Parabéns, parabéns, parabéns!!

Entusiasmante ler um texto assim!

Muito obrigada.

Chega de trapaça.

Sagran Carvalho disse...

Perfeito meu amigo!!! Mais claro, só desenhando. Mas cuidado, amanhã podem querer censurar o desenho também. E viva a esquerda, seus asseclas e o Deus Sol!

Ajuricaba disse...

Caríssimo:
Isso é um verdadeiro tratado de antropologia do (des)governo que aí está.

opcao_zili disse...

Excelente, meu amigo. Também estou muito cansada de tanta mentira e revoltada com o que fazem, conscientemente, com o povo que eles se esforçam para manter na ignorância. A lepra do nosso tempo é essa ideologia canhestra que estão implantando que, de ideologia não tem nada - apenas interesse.
Essas mentiras brasileiras e mundiais precisam ser desmascaradas a todo momento e com rapidez. Devemos perder o medo de ser "politicamente incorreto"e dar nome aos bois.
Mais uma vez, Parabéns. Lepra tem cura e nós livraremos o país dela.

MariaFeistauer disse...

Abençoadas são as redes sociais. Graças a elas, e a pessoas como você, tem sido possivel combater, em parte, está prática criminosa e imoral.

Velvet Poison disse...

Orwell não era escritor. Era profeta das brasilianidades.

JANDAÍRA-BAHIA, MEU PARAÍSO! disse...

Muito bom, excelente! Francamente esse é o texto que gostaria de ter escrito! É a imagem de um desgoverno sujo, imoral, acéfalo e inconsequente! O País está caminhando para a ingovernabilidade! Nada se sustenta sem organização, na mentira, no engodo! Por muito menos o Collor foi impedido! O País está no vácuo das inconsequencias dessas púsulas, traidores e ratos da Pátria amada!

Felipe Adad disse...

Eita seu Marcos, como sempre atiçando a minha dislexia com este seu palavreado polido. Gostei da parte do “nunca discuta com um louco, ele sempre tem razão". Ontem eu vi uma entrevista no Jô, do senhor José Nêumanne (amicíssimo do Lula) disse que duvidava muito que o Lula leia algum tipo de livro. Então tá explicado o por que o Lula nunca sabia de nada. O cara é tipo um gravador, ele gosta de escutar as prosas políticas alheias, e depois recontá-las na sua interpretação. Aí os alucinógenos já caíra em tentação do conto do Vigário. Parabéns Marcos pelo texto! Fina Estampa teu jogo de palavras polidas.

MC.EAGLE disse...

Meu caro Marcos Pontes! Esse texto é como diria eu, uma luz sobre os diversos fatos escuros ora presentes na nossa política e na nossa história. Digo isso pois segundo o que acompanho e o que tenho lido, a corja apenas se revolve em desculpas e mentiras, onde juntamente com os coronéis do poder, fomentam mais roubalheiras deslavadas. Parabéns!

abelheira disse...

O Lula não faz parte de nenhum partido organizado. Ele é do PT. É a estrelinha cujas 5 pontas nunca se encontram. É o Lulinha Paz e Amor que o marketing político criou, e que os cidadãos foram comprando à prestação.
Participei certa feita, não há muito, de um grande evento mundial sediado no Rio de Janeiro de uma empresa francesa. Lula, Sérgio Cabral (governador do RJ) e Eduardo Paes (prefeito) derramar às caras. Na platéia, presidentes e executivos de todas as empresas multi e transnacionais, além de autoridades públicas de todos os continentes, servidores tvs educativas e a imprensa mundial. Com seu doutorado em carisma comprador na China, Lula afirmou que "agora, os políticos do Hemisfério Norte vem aqui aprender a fazer política e economia", arrancando sorrisos tortos da platéia.
Ao ouvir aquilo, pensei: Não preciso disso. Não preciso ouvir mentiras. Mas ele precisa aparecer, se vender. É uma criança muito da malcriada.
Como, aliás, a maioria dos políticos da América.

Joao Santos disse...

Marcos, o que escrever? Tudo já foi dito nos comentários anteriores, mas assim mesmo, deixo o meu, Parabens !!

Fusca disse...

Excelente compilação das mentiras do governo mais corrupto e irresponsável que o Brasil já teve desde Pedro Álvares Cabral.

Jessica Carmo disse...

"Mentiras à mancheia"... Na terra do Nunca Se Sabe, pode ser perigoso saber, falar, felizmente, ainda há os que insistem! Não importa, mesmo que ás vezes discorde de você, é de uma clareza impar ao usar as palavras. Quase posso ouvi-lo discorrer sobre o assunto. Parabéns!

Rose disse...

Agradeço cada mensagem sua indicando um texto novo.
Sinto como se suas palavras traduzissem o pensamento de muitos brasileiros honrados.
Lembro do tempo que, quando se questionava qual o pior defeito numa pessoa, a resposta geralmente era a mentira, porque representa a traição, a desmoralização de quem é enganado.
A Era PT transformou a mentira em virtude e encontramos quem aprecie isso, só falta saber se é masoquismo ou falta de caráter.

Edimo Ginot disse...

Olá Marcos,


Há quanto tempo não te leio. Bons os tempos de um Overmundo sem o ranço petista. esses babacas que se acham donos do mundo. Na verdade, eles me dão é nojo. Da presidenta ao continuo.

Um abraço
edimo ginot