Pesquisar neste blog e nos da lista

quarta-feira, junho 08, 2011

Os bastidores da demissão de Palocci

dilma_palocci_pepino_charge
A desfaçatez é assustadoramente enojante. Quem acompanha a política mais pelas entrelinhas das notícias do que pelas manchetes já sabia que a queda de Palocci era inevitável, o nó estava em como fazer isso maculando o mínimo possível a imagem já não muito alva da presidente e de seu governo além do que já se previa. E aí é que abriu-se o balcão de negócios.
A imprensa, cheia de especialistas, fontes nos palácios e analistas renomados, se limita a reproduzir as informações oficiais. Raros são aqueles que contam, embora por alto, o que rolava nos corredores, linhas telefônicas e cantinhos escuros dos gabinetes dos envolvidos direta ou indiretamente na crise. Enganar as massas é missão dos políticos, ajudar nessa missão é papel investido pela imprensa conivente e covarde.
Insustentável, ocupante da segunda cadeira mais importante e desejada dessa República, Palocci tornou-se alvo dos oposicionistas oficiais, oposicionistas entre aliados e a opinião pública – a que se informa, pelo menos. Entre os aliados pró-forma o desejo não era descobrir seus mal feitos, as fontes de sua riqueza meteórica, mas o cargo de primeiro-ministro, também conhecido como ministro chefe da Casa Civil.
Dilma precisava substituí-lo por alguém de sua confiança e pouco sujo publicamente; Lula queria continuar mandando, exercendo seu terceiro mandato, por isso alguém do seu quartel general do que do da Dilma; Temer tinha o desejo, mais do que esperança, de emplacar um espião da sala ao lado (na verdade, acima) da da presidente; por fora corriam Força Sindical, PDT, free lancers, financiadores da campanha, lobistas e mais uma infinidade de gente que tenha ou deseje ter negócios com o governo federal.
Lula e Dilma marcaram uma reunião secreta entre si, em Brasília, que deveria ocorrer no domingo, mas a notícia vazou. Ficaram, então, pendurados ao telefone, cada um ouvindo suas luas pardas; Entre propostas, contra propostas e sugestões e imposições, tentavam chegar a uma definição de agrado mútuo e que, de quebra, não amassasse o acordo que o PT/governo tem com seu principal aliado, o PMDB.
Não se sabe de quem foi a idéia de colocar a Procuradoria Geral da República no circuito. Provavelmente de Lula, generalzinho que conhece bem os caminhos e descaminhos, que tem o procurador na algibeira do colete. Talvez o próprio Palocci, que de bobo não tem nada, e participou ativamente de toda a armação. Ele sabia que sairia, apenas queria sair sem quebrar pratos.
Na véspera do anúncio da demissão, na segunda-feira, sai o comunicado que a PGR não investigaria o ministro e sua suspeitíssima riqueza instantânea. A senha estava dada. Com a garantia de que não ficaria na ponta da faca do governo, poderia sair como se fosse vontade sua. Chama-se Vaccarezza e combina-se o discurso a ser repetido por todos, inclusive pela futura ministra, também já definida, consultada e aceitada. Palocci teria demitido-se para defender-se de acusações de cunho político. Aliás, bandido político nunca é perseguido por crime, mas por inveja da oposição.
E por que a Gleisi?
Não são poucos os motivos: 1. Ela conhece todo mundo no Congresso, onde trabalhou como assessora parlamentar; 2. É petista desde 89; 3. Trabalhou na coordenação política das campanhas de Lula e de Dilma; 3. Seu suplente no Senado é peemedebista, o que seria um agrado para o partido aliado; 4. Não tem podres revelados na imprensa; 5. Já foi assessora de Zeca do PT, quando este governava o Mato Grosso do Sul; 6. Já foi diretora de Itaipu, quando o ministro era o Silas Rondeau, que entrou em desgraça por receber R$ 100 mil de propina da Gautama, porém a titica não espirrou nela; 7. Por ser mulher, o que engrossaria o coro de sexismo que o governo assumiu desde a campanha; 8. É casada com Paulo Bernardo, hoje ministro da comunicações e cãozinho fiel do Lula, assim como ela, e carreirista profissional, assim como ela; 9. Tem toda a confiança de Lula e não conta com desconfiança explícita de Dilma. Outras razões devem existir, mas essas já me satisfazem para entender.
Quanto a Palocci? Bom, este saiu ganhando. Não vai ser investigado, não será sabatinado pelos colegas deputados, voltará à sua consultoria ainda contando com informações cocheira e deverá multiplicar sua fortuna vinte vezes nos próximos quatro anos. Logo, logo poderá estar tão rico quanto Lula ou Zé Dirceu.
O Brasil ganhou com sua saída? Não necessariamente. Põe-se um pano quente no escândalo, a imprensa muda de foco, a nova ministra agradará à imprensa canina e todos faremos de conta que tudo voltou à normalidade, como se a política nesse país e, principalmente no PT, algum dia foi norma.

©Marcos Pontes

12 comentários:

Anônimo disse...

Você foi o primeiro que disse quem, realmente, é a ministra entrante. rsss. Certíssima sua análise. Parabéns. Continuamos num mato sem cachorro. Putz! opcao_zili.

nadiavida disse...

Tens minha admiração cada vez maior.... Vamos aguardaras cenas dos próximos capítulos.... Abraços.

Ajuricaba disse...

A ficha da Barbie Paraguaia parece uma folha corrida. Quem perdeu mesmo foi o Brasil que pagou a conta do Toinho.

Beatriz disse...

Marcos, gostei da busca pela verdade. É uma pena que pouquíssimos são aqueles que lêem , têm vontade de buscar a realidade. E quando sabemos que Lula e FHC estavam juntos na fundação do Foro de São Paulo, que FHC permite que sua vanglória, seu prazer em aparecer faz com que ele seja irresponsável sugerindo a legalização da maconha...A SENHA está dada há décadas.

Sei que fujo do seu tema mas fazparte de buscar contrapontos..sugiro a todos esta entrevista
http://www.youtube.com/user/videoscanalverdades

Beatriz disse...

Marcos , desculpe, saí do tema. O problema é que desde a OLAS (todas as organizações de esquerda centradas em cuba, capitaneada pelo Régis Debray)..e todos que , hoje, estão no poder estão ligados muito intimamente com isso. Assim, quando abriram as portas da américa Latina pra essa ação tricontinental ...a senha tava dada.

Paradigma disse...

Gostei charge Abraço Palocci e o seu palácio...

Br1000 disse...

Triste realidade. Pobre Brasil.
Você disse tudo.

Pincelanea disse...

Seus comentários são sempre pertinentes. Bem melhor que os Mervais, Lucias e Elianes..
Parabéns e abraços

Anônimo disse...

Afinal, qual é a graça de meter a mão em 10 milha e continuar morando num apzinho de 150m², é isso aeeeeeee, a graça de meter a mão é ir pra gozolandia, não é? Aprende com maluf, rouba mais não mostra!!!

Adoniram disse...

Haja lona para esse circo. Parabéns Marcos. Frustra-me a minha incapacidade em fazer o povo brasileiro, maior interessado, leia textos como os seus. É frustrante a inércia do povo brasileiro.

Fusca disse...

Agora temos o caso mais escabroso de nepotismo da história: 2 ministros de Estado da mesma família. E faltou a imprensa apurar as andanças de Lula buscando ajuda de Chávez na crise de Palocci, que veio dar o beijo de Judas e jogar a 'pá de cal' para encobrir o fedor do esterco chavista-petista.
http://twitpic.com/58ulis

Fusca disse...

Agora temos o caso mais escabroso de nepotismo da história: 2 ministros de Estado da mesma família. E faltou a imprensa apurar as andanças de Lula buscando ajuda de Chávez na crise de Palocci, que veio dar o beijo de Judas e jogar a 'pá de cal' para encobrir o fedor do esterco chavista-petista.
http://twitpic.com/58ulis