Pesquisar neste blog e nos da lista

sexta-feira, fevereiro 04, 2011

Canhão para matar baratas

conexao-de-internet

Como surgiram os caras pintadas? O que levou aquela multidão de jovens se reunir em praças de todo o país, faixas verdes e amarelas nas faces? Tendo o movimento surgido nas universidades depois da “sugestão” dos meios de comunicação, fica fácil entender que a UNE era o grande promotor. As informações eram passadas de diretório acadêmico a diretório acadêmico numa corrente crescente.

Não fosse a UNE uma instituição explicitamente de esquerda o movimento teria repetido-se, pelo menos, em duas ocasiões nos últimos oito anos. A primeira durante o escândalo do mensalão e a segunda, durante as discussões no Congresso sobre a Lei dos Fichas Limpas.

Os telefones das universidades públicas nem precisariam ser usados uma vez que as redes sociais são tão ou mais utilizadas que os telefones fixos. Ainda mais com a rapidez e alcance dos e-mail e da telefonia celular.

A eleição de Obama e as atuais manifestações egípcias, sem falar na onda de protestos em países mulçumanos do Oriente Médio, mostram claramente a força que a internet temp para informar e mobilizar e mobilizar as massas. Twitter e Facebook tornaram-se as mais novas e eficazes ferramentas de mobilização popular. O grau de insatisfação da população com um ou outro nome do poder público ou com as medidas tomadas pelos governos, além da característica local de inconformismo de um povo levam as manifestações públicas ao sucesso ou ao redundante fracasso e consequente frustração.

Nos últimos meses os governos europeus vêm tomando medidas impopulares, embora prementes para o equilíbrio de suas finanças, mormente no tocante à previdência social, e a convocação de jovens por meio da internet tem sido crucial para que os cidadãos irem às ruas em grande número, inclusive levando à queda de governo, como na Tunísia.

França, Inglaterra, Turquia, Grécia e Holanda, esta em menor intensidade, provaram o sabor amargo da força de aglutinação que as redes sociais têm.

No Brasil, país criado na máxima que o governo tudo sabe, tudo pode e resolve todos os problemas, a mobilização faz-se apenas pelas fibras ópticas, não levando o povaréu às ruas. Nossa passividade  não casou-se com os protestos internéticos contras os desmandos, desvios morais e financeiros, viés autoritário dos nossos governantes.

O movimento “Fora Sarney”, por exemplo, não saiu das telas dos computadores para a praça e o senhor feudal dos reinos de Maranhão e Amapá continua dando as cartas na jogatina de Brasília; Fichas-Sujas – só na Câmara Federal  são 59 na atual Legislatura – continuam candidatando-se, elegendo-se e tomando posse, mesmo contra os gritos de basta! do populacho internético; rouba-se aos milhões, como nos Correios, em Furnas, na Petrobrás e na CEF, gritamos em negrito e em caixa alta, mas nossos gritos não saem da garganta. Mesmo com a mais poderosa arma de protestos da atualidade, continuamos usando as redes sociais para sermos sociáveis, não sabemos fazer delas uso mais efetivo contra o caos em que se transformou a administração pública em todas as esferas.

Tenho a satisfação de ter provocado uma passeata de 10 mil pessoas contra a violência em minha cidade (aqui e aqui) usando apenas um artigo num site local, constatação de que muito poderia ser feito pelo país, em grande escala, a partir do uso da rede, mas nossa vocação para vaquinhas de presépio politicamente corretas não nos permite a exposição contra quem nos aflige.

 

O tema desse post foi sugerido pela amiga Ana Morandi (@morandiani)

 

©Marcos Pontes

9 comentários:

nadiavida disse...

Parabéns pelo artigo! Concordo contigo.... Criar tags no twitter não resolve nada no país chamado Brasil..Acho que qdo se reúnem fazem é rir da nossa cara... Temos sim, que fazer as mobilizações pela internet e convocar pras ruas.. Mas ir mesmo, botar pra quebrar (sem violência)... Estamos preguiçosos ou cansados? Fico irritada qdo vejo algumas pessoas do twitter por tags lá e depois dizer: "tô fazendo muito pela democracia" como já vi mtas vezes"... É o mesmo que pedir pra fazerer doações pras tragédias e não levantar a bunda da cadeira pra fazer algo real... Mtos não doam nem um centavo, nem um pé de chinelo usado e se acham... E os políticos sabem disso e deitam e rolam....Parabens querido amigo!

Vereança disse...

Muito bom, temos é mais que agirmos mesmo :)

@PortalMatrix disse...

Concordo com a amiga nadia vida O que vejo por ai são trabalhos isolados visando o estrelismo pessoal.Isso não dá certo.Temos que reunir um grupo de internautas acostumados em mobiliazar,articular,e que entendam do mecanismo político e de acompanhamento do executivo e do legislativo,e captação de dados em fontes primárias.Ai elegeremos quem bem entendemos e derrubaremos da mesma forma.Me abilito,junto com nadiavida uma amiga militante como eu.Conheço o trabalho dessa aguerrida mulher! posso dizer que é uma mulher de fibra.

Marco Sobreira disse...

Caro Marcos, muito oportuno o seu artigo, só que na minha visão a UNE não mobiliza os estudantes porque receberam fartos recursos do Governo LUla, e aí o fato de ser de esquerda não tem influência. O povo está anestesiado com as bolsas e o crédito facilitado, sabe o que acontece? é aquela história, farinha pouco meu pirão primeiro, só que vai chegar a hora que teremos que pagar um preço, a inflação ameaça corroer nossos salários, a inadimplencia está aumentando e a corda aos poucos vai esticando. Tem outro problema, a oposição, acomodada, sem uma agenda, dividida entre os egos inflados de alguns caciques não passa à população a confiança de que pode comandar uma onda de protestos. Quanto a nós, temos que manter a pegada, denunciar à exaustão, o twitter e o facebook são armas poderosas, a qualquer momento encontraremos eco em nossas palavras. Grande abraço.

Alexandre - Caçador de iMundos disse...

Tava pensando nisso hoje de manhã e até pensei em escrever algo sobre isso. hehe
Primeiro: os caras pintadas, que hoje atacam o "PIG", nada mais foram do que massa de manobra do mesmo PIG. Isso já completa o que vc falou da UNE.
Segundo, a net conseguiu levar Serra para o 2º turno. Basta lembrar que foi preciso colocar no programa da terrorista iMunda que havia uma "rede do mal" falando barbaridades do Poste de Guerrilha.
Terceiro, gente como o Sarney nõa cai só pela internet. Aquilo é mancha de vinho em tapete persa. Precisa, sim, duma passeata em todos os estados.
continua...

Alexandre - Caçador de iMundos disse...

quarto, o problema da oposição, digo, militantes é que marcam passeatas em sábados 9 da manhà. Porr*! Qualquer movimento tem de ser feito em dia de semana, às 18 horas, quando o trabalhador t;a saindo do emprego. Pegar os estudantes indo pra faculdade e etc. Digo isso numa passeata com o objetivo, por exemplo, de dizer não à CPMF.
Quinto, precimamos de idnheiro, isso , sim. Tem comício da CUT que sorteou 2 apês e um carro popular.
Imagine se conseguíssemos sortear, por exemplo, 10 iPads? Pois é, enchia de gente.

TonMoura disse...

Pois, também falando em mundo virtual interagir com o real eu acabei de postar sobre os amigos digitais. Um texto bem mais leve que o seu, que é muito oportuno e bem montado. A conectividade é uma ótima ferramenta e os poderosos vão querer tratar de também usá-la como ferramenta de alienação, como fizeram com o rádio, a televisão, etc.

Aparecido disse...

UNE, que UNE, une o quê?

Se nem os estudantes acreditam mais nela, como sonhar com uma união? Aliás esse é outro fator que prepondera hoje, FALTA DE CREDIBILIDADE.

As pessoas estão tão desconfiadas dos movimentos politicos, por conta dos maus politicos que não se animam a politicar.

Twitter e Facebook, por aqui, tirando uma meia dúzia, são utilisados como espingarda de caça, por carentes amorosos.

Os que agrupam-se em discussões politicas, com muita dificuldade conseguem dialogar entre si sem se menosprezarem, não é raro ouvir/ler em uma discussão coisas assim: "você não sabe o que está falando, vá se informar" - mas não informa!- Isso, mesmo defendendo posições do mesmo lado. Parecem torcidas de futebol, tal qual a torcida gremista que festejou a derrota do Inter.

Falta ainda um objetivo comum, uma bandeira a ser empunhada, um líder a ser seguido.

Tomara que não precisemos chegar ao ponto que chegaram os muçulmanos para que nossa massa deixe de ser amorfa.

Ajuricaba disse...

Nada como uma verbazinha para acabar com qualquer espírito de reação. Fizemos um manifesto aqui em Manaus no dia seguinte ao aumento dos parlamentares e outras otoridades. Tinha apenas umas 30 pessoas. deu um certo "abrulho' pois conseguimos dar uma volta com o carro de som pelas ruas do centro lotadas. Foi pouco, mas levantou a inspiração e a mobilização para eventos futuros. Realmente ficar criando tags no twitter é apenas moticacional. Temos é que ir pras ruas prá aliviar os nossos bolsos tão castigados por impostos extorsivos.