Pesquisar neste blog e nos da lista

quinta-feira, fevereiro 24, 2011

Justiça social, uma pinóia

JUSTIca

 

Qual a fórmula da Coca-Cola? Por que só tomamos café e sopa quentes se, antes de beber, sopramos para esfriar? Qual o terceiro segredo de Fátima? Onde andará Stephen Fry? Perguntamos porque gostamos de perguntar, às vezes sequer nos interessamos pelas respostas, elas em nada mudarão o rumo de nossas vidas.

Algumas dúvidas, porém, são reais e, pelo menos até agora, sem respostas e essas respostas bem podem mudar as trilhas pelas quais caminha o Brasil.

Quantos brasileiros graduados, pós graduados, mestres e doutores, num desses vieses da vida perdem o emprego e recorrem ao Seguro Desemprego? O cidadão estuda, trabalha, se esforça e quando precisa de auxílio oficial pode contar, no máximo, com cinco parcelas. Vencido esse prazo, o Estado lava as mãos e o pobre desempregado que “dê seus pulinhos” para sobreviver. Por outro lado, o brasileiro analfabeto que jamais teve a carteira profissional assinada, que nunca assentou um tijolo que fosse para ajudar na construção do país, pode receber, por dezoito anos, ajuda do governo por ter tido o prazer da paternidade/maternidade. Como explicar isso se não ela dedução que a meritocracia teve sua morte decretada?

Na mesma linha de raciocínio, pela justificativa de que brasileiros miseráveis (em nome da justiça social e da mobilidade vertical na pirâmide sócio-econômica) sem estudo, capacitação profissional e pais de menor de idade têm direito a uma bolsa social de algumas dezenas de reais mensais, por que o montante a que tem direito é menor do que o auxílio financeiro que recebe aquele que cometeu crime grave, encontra-se encarcerado, com casa, comida e roupa lavada pelo Estado? É mais nobre compensar financeiramente um homicida do que um flagelado pela seca? Pior, um assassino tem mais direito a ganho pecuniário do que um doutor ou mestre desempregado?

Para dar um reajuste de R$ 5,00 ao salário mínimo, quantia que não paga o transporte de um dia da maioria dos assalariados brasileiros, o governo federal, por meio de seus avalistas no Congresso – deputados e senadores – gasta milhões em reuniões, salários, combustível, telefonemas e, muito provavelmente, propina a lobistas. Usando balança diferente, porém, não se manifesta contra o reajuste de 60% nos vencimentos e vantagens desses mesmos parlamentares venais, como se essa fortuna inutilizada pela incompetência e pela ideologia disfarçada não saísse do mesmo erário que saem os serviços da Previdência para os assalariados mínimos. Como explicar-se-ia isso?

Por essas e outras, muitas outras, que o argumento da “justiça social”, do “resgate histórico”, da “divisão de riqueza” e que tais, nada me dizem. São justificativas que a prática desmente, cujo único propósito é, através da enganação do discurso politicamente correto e sem sustentação a uma análise minimamente racional, instaurar o socialismo moribundo e historicamente comprovado criminoso no Brasil.

 

©Marcos Pontes

11 comentários:

Beatriz disse...

Muito bom. O certo seria: diminuição do salário dos cobgressistas e aumento do mínimo. Ou....aumento do mínimo na proporção da dívida do governo.

ARAL CARDOSO disse...

BOM, NEM PRECISO FAZER NENHUM COMENTÁRIO. EXCELENTE! IRRETOCÁVEL. PARABÉNS.

Aparecido disse...

É!!!.... Pois é!!!! Então... como fica???

Será que quando a grande maioria dos que se consideram e dizem inteligentes perceber que esse estado vigente incentiva e bonifica a criminalidade em detrimento da honestidade, aceitará as oportunidades oferecidas? Se aceitar, teremos cadeias pra tantos?

Ajuricaba disse...

O seu texto expressa a sua revolta e de milhões de outros, eu incluído. Não me conformo que parlamentares sejam autoridades. Foram eleitos para representar a população e não para se tornar superior a ela. Quando muio muito, receberiam um salário de não mais que o limite superior das aposentadoria da Previdência Social, uma moradia comunitária, as passagens para seus deslocamentos a cada 15 dias e pronto. Uma dos maiores "empregadores" do Brasil, o Congresso nacional não agrega um prego ao PIB, ao contrário, some com milhões do que produzimos.
Como sempre, vou por o link nas Dicas de Tupã.

Anônimo disse...

Excelente. Mérito não é reconhecido por ninguém da cúpula porque eles nã têm nenhum, pois estão lá por pura enganação. É por isso que devemos começar a lutar desde agora. Não votar em ninguém do PMDB que está com mta corda e , do PT, por razões óbvias demais. Abs Parabéns

@Filonescio disse...

No alvo!

Esse é o Socialismo de resultado (nas urnas)

É o Coitadismo levado às últimas consequencias. Manter a base eleitoral com qualquer tipo de bolsa é o voto de cabresto moderno.

Adao Braga disse...

Me ensinaram que só o amor aumenta com a divisão. Agora eu creio que a miséria também.

Afinal, FHC cadastrou e dava bolsa para 6,x milhões de famílias. Lula ampliou para 12,x milhões. Dilma já promete aumentar.

Por isto, já afirmo: quanto mais você divide amor, mais amor você tem. E no Brasil, quanto mais se divide a renda, divide a riqueza, mais miseráveis aparecem!

São Black 2008 disse...

Bom, já disse que ainda viro quilombola, mas, primeiro, tenho de pesquisar quais as fazendas mais produtivas.
Qualquer coisa que tenha "social" adjetivando ação da esquerda iMunda, pode ter certeza, é puro populismo. Não acredito que um governante ache que dar esmolas é fazer o bem, nem mesmo os iMundos... mas isso traz votos, traz a facilidade para a doutrinação e , com isso, o poder eterno.
mas é um problema que vem desde a nossa colonização. Fomos colonizados por uma casta ordinária que mamava nas tetas das terras descobertas. Essa mesma casta formou a consciência do povo brasileiro, um povo que quer mordomia sem trabalhar, sem o espírito do liberalismo correndo dentro corpo. O antropólogo Roberto Damatta relata bem isso em seu livro "O que Faz o brasil, Brasil? Desta forma mesmo, o primeiro Brasil é em minúsculo.
Por este prisma, dão mais valor às esmolas do que à valorização do trabalhador.
Lamentável!

Alexandre - Caçador de iMundos disse...

Bom, já disse que ainda viro quilombola, mas, primeiro, tenho de pesquisar quais as fazendas mais produtivas.
Qualquer coisa que tenha "social" adjetivando ação da esquerda iMunda, pode ter certeza, é puro populismo. Não acredito que um governante ache que dar esmolas é fazer o bem, nem mesmo os iMundos... mas isso traz votos, traz a facilidade para a doutrinação e , com isso, o poder eterno.
mas é um problema que vem desde a nossa colonização. Fomos colonizados por uma casta ordinária que mamava nas tetas das terras descobertas. Essa mesma casta formou a consciência do povo brasileiro, um povo que quer mordomia sem trabalhar, sem o espírito do liberalismo correndo dentro corpo. O antropólogo Roberto Damatta relata bem isso em seu livro "O que Faz o brasil, Brasil? Desta forma mesmo, o primeiro Brasil é em minúsculo.
Por este prisma, dão mais valor às esmolas do que à valorização do trabalhador.
Lamentável!

Anônimo disse...

Perfeito, Marcos.
Em suma: onde tem um idiota tem um vigarista de plantão.
Estamos sendo governados por vigaristas.

Nayara Cavalcante disse...

Nossa, muito bom!

Parabéns!