Pesquisar neste blog e nos da lista

sexta-feira, junho 04, 2010

Tornei-me um mentiroso

 

A gente muda, isso, mais que um clichê, que uma observação óbvia, é uma indefectível verdade. Ontem, dando uma olhada no cabeçalho deste blog que alimento desde 2005, percebi que tornei-me um mentiroso sem perceber. Sem maldade, mas mentiroso.

Diz ali em cima “crítica de lado nenhum a não ser do lado oposto dos profissionais partidários” e isso deixou de ser verdade.

Nos dois primeiros anos do governo lula, quando eu escrevia num outro blog, poupei o governo e o governante de críticas mais duras. Acredito que há a necessidade de o novo governante levar um tempo para desatar os nós deixados pelo antecessor para, só então, conseguir dar seus próprios nós. Sendo o mandato presidencial de apenas quatro anos, dois já seriam até demais ou não se governaria em quatro.

Nos dois primeiros anos Lula e sua gang não sabiam que rumo dar ao país e gastavam tempo, saliva e nossa paciência culpando o governo de FHC por todos os problemas nacionais, mesmo os que Pedro Álvares Cabral já havia encontrado. Já que não havia jeito, tinha que dormir e acordar sob a sombra dessa mácula chamada PT, dava minhas marteladas aqui e ali, criticava um pouquinho um ministro, uma estatal, um projetinho sem vergonha, mais pelo hábito crítico do que pela ânsia de bater.

Porém também fui cansando de ser bonzinho. O país não andava, a quantia gasta em propaganda superava as verbas para saneamento básico; aumentavam-se os salários de algumas categorias, mas não se cobrava a contrapartida em qualidade; a infraestrutura continuava para as carroças a que se referira Collor em 1990 e nada melhorava, somente a qualidade das carroças; os escândalos pipocavam diariamente, não pela melhoria na eficiência da Polícia Federal e demais órgãos fiscalizadores, mas porque a corrupção crescera sob o tráfico de influência dos novos comandantes, pela sede com que os vermelhinhos assumiram o poder, ávidos de comerem tudo o que não comeram em toda a história da República; a desagregação social bancada pelo governo assustava desde que a ministra das tapiocas pregou que negros poderiam agredir brancos em nome do resgate histórico, mas brancos não poderiam agredir negros, isso é racismo, piorando com os discursos do presidente pregando a insurgência de pobres contra ricos, vilanizando quem estuda, produz e emprega e vitimizando analfabetos, despreparados, pobres e periféricos; os ditos “movimentos sociais”, em sua maioria ONGs bancadas pelo erário com objetivos lindos no papel e podres na prática, mandando e desmandando, invadindo propriedades públicas e privadas sem jamais serem importunados pela Justiça. Teve o assustador exemplo dos “agricultores vítimas de hidrelétricas” assumirem a sala de comando da hidrelétrica de Tucuruí e ameaçar apertar os botões, algo que seria um crime duramente penalizado, mas que sob a proteção petista e companheiros não passou de xiste de um companheiro; as tiradas futebolísticas ou sexuais do governo, que vai do “meio de campo entrosado”, de Lula, ao “relaxa e goza’, da Marta. Do “top-top”, do Marco Aurélio Rei do Tártaro Garcia, aos dois “ponto G”, do mesmo beócio-presidente; as mentiras deslavadas do Lula, a primeira assustadora no “eu não sabia de nada” (com dupla negativa pra ficar mais próprio de sua semialfabetização), e seu sequazes, uns apoiando os outros nos desvios pecuniários e morais contumazes e repetitivos; da marolinha que não nos atingiu, segundo o chefe da gang, mas que, contraditoriamente, não nos permite crescer e ainda causa a necessidade de cortarmos gastos no orçamento; a candidatura mais esdrúxula que Lula poderia tirar de sua algibeira para tentar eternizar-se no comando e que tenta nos enfiar pelos gorgomilos abaixo...

Por todo o conjunto da obra infelizmente inacabada, mas que ameaça nos acabar, mudei. Não posso mais dizer que sou um crítico geral. Mesmo não sendo um “serrista” ou um tucano sacramentado, tornei-me, pela força das circunstância, o crítico ferrenho e irremediável do PT, de Lula, de Dilma, do governo atual e de qualquer coisa referente a essas coisas.

©Marcos Pontes

2 comentários:

Adao Braga disse...

Tslvez sim. Mas, observo que você ainda mantém em alerta. Consegue visualizar o horizonte, consegue enxergar em meio a esta névoa politica.
Não perdeu a capacidade de olhar e distiguir o certo do errado, o verdadeiro do mentiroso, o honesto do desonesto, o legal do ilegal, a virtude do vicio.
Seguindo este seu pensamento, você também deve se considerar IMORAL. Na definição da palavra, quando se refere a filosofia diz: Modo de proceder.
Como o modo de proceder atual, instituido e estabelecido é mentir, enganar, vilipendiar... todos nos tornamos IMORAIS, ou seja, contrários aos costumes prevalecentes. É bom pensar hein?

Lord disse...

offtopic
Olá irmão de armas
ELEIÇÕES 2010 - TSE, candidatos deverão apresentar certidão criminal, que será apresentada, no registro da candidatura. O documento será digitalizado e colocado à disposição do eleitor na página do TSE na Internet.
Ainda de acordo com a resolução do TSE terá que ser apresentado também certidões de objeto e pé, com detalhes sobre o andamento de cada processo.
Cara nova no congresso vai divulgar estas informações do TSE.
Quando isto acontecer conto com a sua colaboração
Eleja, não reeleja
Vamos Limpar o congresso
Espero que o TSE não esconda estas informações
Lord
caranovanocongresso@blogspot.com
caranovanocongresso@sapo.pt