Pesquisar neste blog e nos da lista

quarta-feira, setembro 23, 2009

O itamaraty não é mais o mesmo

mariano

O Ilusionista tá com a bola toda: prêmio internacional por defesa da democracia, considerado político mais popular do mundo, o Brasil recebe o grau de investimento por agência internacional,  o Rio tem reais chances de ser escolhida sede da Olimpíada de 2016,… Enfim, o Brasil está na moda e os petistas, lulistas e agregados têm seus motivos para estarem exultantes. Mesmo discordando da política partidária que o presidente defende como se fosse presidente de partido e não de uma nação heterogênea, da idéia de que sediemos a Olimpíada por causa dos rombos que ocorrerão no erárioe de que ele seja deveras defensor da democracia, reconheço que o país tem sido visto com mais notoriedade mundo a fora, mesmo que sob uma óptica distorcida, mais pela novidade de um semianalfabeto que faz de conta que sabe o que fala e menos pelos progressos reais que o país tem experimentado.

O Brasil sofreu pouco com a cise mundial, mas não é grande mérito. Sofremos pouco porque arriscamos pouco. Sofreram mais os países que mais investiram em seu crescimento, como pouco crescemos, pouco sofremos. Sofreram pouco também o Chile, o Egito, a Coréia do Sul (que estava em descenso)… Quem pouco crescia, pouco tinha a perder, por isso perdeu pouco. O resto é propaganda.

O problema é que quando a maré está boa neguinho tende a relaxar. O ilusionista sofre de megalomania e egolatria há muito tempo, agora, então, esbraveja verdades absolutas mesmo que dez minutos depois tudo o que diga seja contradito por algum assessor. A tática tem dado tão certo que ela tem sido insistentemente usada. Sabendo que o populacho escuta tudpo o que diz com brilho nos olhos e sonho de grandeza, o presidente fala o que bem quer, vomita populismo, transpiração eleição já que jamais desceu do palanque e é aplaudido. Quem l~e jornais, conhece os fatos, sabe ler notícia e analisá-las, cobra as verdades do discurso, aí vem um inistro, um bedel ou um simples capacho, como Mercadante, João Pedro, Ideli, Serys ou um outro mané qualquer, fala um pouco de verdade, coloca os pingos tortos em alguns ii e o povaréu não escuta, encontra-se sonhando com o ouro mostrado pelo ídolo de barro. Assim tem sido.

Esquerdóides mal informados ou mal intencionados têm a rodo, cabos eleitorais de cabresto ou de esmola se espalham por todos os lados e os sofismas se espalham como se o messias estivesse traduzindo os desejos mais íntimos do Divino. São tão catequisados em seu sectarismo que não consegue permitir-se sequer questionar alguma maluquice mais estranha deflagrada ao pé do ouvido, numa intimidade ensaiada, pelor senhor de todas as verdades, o todo poderoso de Garanhuns, onisciente Lula.

Mesmo tendo mil mentiras desmascaradas, como Fome Zero, Primeiro Emprego, Pró-Álcool, dez milhões de empregos… Sua popularidade continua intocável. Descobriu a desculpa perfeita do “eu não sabia” e esta continua colando. a indefectível desculpa que de tão perfeita passou a ser utilizada pela mesma eficiência pelos seus cúmplices, como Z’El Bigodon, que não apresentou uma prova de seus desmandos, apenas negou conhecimento e teve absolvição automática sem o direito de defender-se. O Ilusionista faz escola e assim entrará para a história: O Presidente Inatingível, mesmo com incontáveis motivos para ter sidi deposto. Ah, se houvesse oposição efetiva, competente e comprometida com a verdade, a justiça e o desejo popular…

Na sua onipotência, Lula recebe Zelaya em nossa embaixada, propriedade de todos os brasileiros, e depois de questionado sobre as razões de dar guarida a um sujeito que responde à justiça de seu país por ferir a constiutição federal, corrupção, tentativa de suborno de autoridades, golpe de estado branco e tantos outros crimes, de interferir na autonomia de um estado estrangeiro (pior, dentro desse próprio estado), Lula repete a mentira infalível: eu não sabia, quando vimos Zelaya já estava batendo à porta de mala e cuia, por uma questão humanitária lhe demos guarida.

Para o mais absoluto analfabeto em política internacional, fica difícil acreditar que Zelaya viajou durante quinze horas, desde a fronteira de Honduras com El Salvador e, entre tantas embaixadas, tenha vindo bater justamente na porta da nossa – por que não na da Venezuela ou da Nicarágua, países publicamente comprometidos com seu retorno à presidência? – embaixada sem o conhecimento do embaixado, portanto do chanceler Celso Amorim e, consequentemente, do presidente brasileiro.

Não bastasse acoitar um bandido perseguido em seu próprio país, o embaixador brasileiro ainda permitiu que Zelaya insuflasse a população à uma reação violenta contra o governo. Foram feitas propostas amigáveis pelo governo de Micheletti prontamente recusadas por Zelaya. O presidente deposto voltou ao seu país ciente de que haveriam confrontos entre populares, que o Exército e as forças de segurança entrariam em ação, sabia dos riscos de derramamento de sangue. Aliás, todo o mundo sabia, inclusive os diplomatas brasileiros. Por isso o governo brasileito tem parcela grande de responsabilidade sobre os saques, as mortes, os confrontos e tudo o mais que vem acontecendo no solo hondurenho.

Não ficará barato para o Brasil a conta política que a irresponsabilidade de Celso Amorim, Lula e todos os que dão cobertura a Zelaya em solo brasileiro dentro de Honduras estão arrumando.

 

©Marcos Pontes

11 comentários:

Fábio Mayer disse...

Esse caso Zelaya faz a linha da "diplomacia do vexame", a mesma que faz com que bolivianos, equatorianos e paraguais se torçam de tanto rir quando ouvem falar do Itamaraty!

E hoje o presidente Lula respondeu os presidente hondurenho dizendo que não dá bola para golpistas... embora dê bola para ditadores como Hugo Chavez e Robert Mugabe.

Entorpecido pelos bons resultados econômicos (méritos indiscutíveis do governo Lula) os petistas e o governo acham que agora o Brasil é potência global e pode influenciar até a política de seus vizinhos. Mas isso não é verdade, o Brasil pode ser atraente para investimentos, mas continua com a mesma influência global do passado, ou seja, NENHUMA!

Ou será que, se o governo de Honduras invadir a quase-embaixada (o embaixador não está nela e o Brasil não reconhece o governo do país) mandaremos o poderoso porta-aviões São Paulo com seus 4 (quatro) A-4 Skyhawk operacionais fabricados na década de 70, para uma invasão?

Neto disse...

Na economia estamos bem, mas na política estamos mal, isto é uma verdade. Mas com todo respeito discordo de tudo o que você escreveu.

O Brasil, realmente, passou incolume à crise (que houve sim, é fato!). E isto deveu-se por medidas pontuais deste governo, que finalmente deixou cair por terra aquela história de que o Estado devia ser 'mínimo' como apregoava FHC.

O Estado hoje é forte. Não deixa TUDO nas mãos dos empresários como antes.

Aliás, se dependesse dos empresários e da imprensa que alardeou a cultura do medo no país, a crise seria maior e bem mais intensa. Queira ou não entender ou revogar mas, este semi-analfabeto aí como você o chama agiu como um líder natural e acalmou a situação no país com sua fé e confiança no futuro.

No auge da crise, a Vale deu para trás, e não quis investir. A Petrobras mostrou projetos dizendo que não poderia investir e era melhor aguardar, inúmeras foram as grandes empresas no Brasil que com anos e anos de tantos "know how" fizeram o mesmo. Só mesmo um líder para acalmá-los nessa situação, e fazê-los acreditar e agir.

@Marcos
Se você se acha uma pessoa tão bem conceituada para o setor candidate-se a presidente ou a um cargo político, eu o apóio. Quem sabe sentado naquela cadeira lá, você possa fazer melhor que estes que estão aí, ou talvez descobrir que as coisas não são exatamente assim como a gente imagina do lado de cá. Das duas, uma.

Não se chateie com o que lhe digo, tenho maior respeito e admiração por você, mas não sou o tipo de pessoa que se deixa levar por notícias que repercutem na 'grande mídia'. Tenho e uso meus próprios filtros e critérios. E nem por isso sou de tapar os olhos.

Um forte abraço.

Cachorro Louco disse...

Marcão : Esses merdas fazem as coisas erradas e quem paga o pato somos nós .Cada dia que passa é mais vergonhoso ser brasileiro .E por aí só vejo gente que enxerga ao contrário e acredita que o Ogro-de-Nove-Dedos é inteligente e fez a coisa certa . A cegueira política dos brasileiros é ridícula .
Abraços

Anônimo disse...

Ô Neto, Entra no Stargate e Volta pra dimensão do Brasil! Vc Está na dimensão errada!! Deixa de falar asneira.

Neto disse...

E VC anonimo ou anonima (homem ou mulher seja quem for) tenha a coragem de se apresentar e de se assumir.

Ser anonimo para dizer que tem uma opinião divergente e ser um NADA é a mesma coisa.

Pare de se esconder.

Anônimo disse...

Neto seu cara pálida! Desce pra terra!... Vc está em órbita idiota!!!

Luma disse...

Zelaya não fez pedido 'formal' pedindo asilo, o que fere o Direito Internacional. A embaixada foi comunicada poucas horas antes do acontecido.

Geralmente o pedido é feito por quem está em seu país e se vê perseguido. A situação atual é contrária, já que Zelaya quer retornar ao país, de onde saiu quando foi deposto, no último dia 28 de junho.

Ele poderia pedir asilo diplomático previsto nas convenções latino-americanas, porém suas atitudes como presidente deposto dando entrevistas, mobilizando correligionários, estando dentro da embaixada brasileira, é ilegal. O asilado não pode interferir no quadro político do país do qual se asilou e muito menos fazer política dentro da embaixada, como se fosse o seu quartel.

A meu ver ele aparenta ser um criminoso que invade território alheio sem permissão (?) e ainda exige regalias. Onde estavam as autoridades da embaixada quando isto aconteceu? Percebe que não tinha ninguém lá? Estranho. Só estavam os subalternos. Ah, que mal pergunte: E a OEA, por onde anda?

A exemplo do caso Haya de la Torre, quando foi colocado Peru e Colombia diante da Corte Internacional de Justiça, pode acontecer agora com Brasil e Honduras porque o relevante aqui será discutir se o país que estende proteção a um refugiado político incorre responsabilidade internacional, caso entregue o refugiado a autoridades que potencialmente violarão os direitos humanos do refugiado.

Eu, cá com meus botões, fico pensando: E se os outros países fizessem o mesmo aqui no Brasil?

Beijus

ZEPOVO disse...

Avante Neto!
É preciso vi~so independente para bom julgamento.

Pela primeira vez o Brasil assume seu lugar de direito nas Américas. Pratica a liderança natural que temos mas não usamos sempre.
Lamento que brasileiros com complexo de vira latas, mal informados ou mal intencionados continuem a se envergonhar do nosso povo, da nossa gente e nação. Na verdade se envergonham de sí mesmos, não querem se dar ao trabalho de ajudar a construir porque destruir é mais fácil...
É preciso perceber que o Brasil, Lula e nossa diplomacia está mostrando de maneira clara que os golpes e quarteladas nas Américas estão destinados ao lixo, assim como todos que ousarem pronunciar meia palavra apoiando golpistas.
Não é preciso agir com correção absoluta para esmagar golpistas. Tudo que acontece hoje em Honduras, na embaixada e com Zelaya é uma forma inédita de resolver um problema inédito, e culpa exclusiva dos golpista.
De agora em diante nas Américas só golpe popular, a mão forte do povo vai bater em golpistas engraçadinhos, seus apoiadores e defensores.
Para mim está sendo facil notar vários blogs ditos "democráticos" que apoiaram na primeira hora o golpe em Honduras, a máscara cai facil na caneta dos fariseus...

Mais uma vez, bate forte Neto!

parabolas disse...

Eu acho incrível como há pessoas que se dizem entendidas e letradas, que tem blogs e amigos no exterior, que se acha dona da verdade não sabe discutir um ponto sequer sem ofender alguem.

O anônimo, ou a anonima aí acima, que eu acho que já sei quem é partiu para a ofensa sem deixar clara sua posição sobre o que o autor escreveu. Típíco de pessoas que vivem, falando em ética nos bloguinhos e pagam ao guarda para não serem multados no trânsito. A falsa mascarada.

A situação de Zelaya foi premeditada por ele e seus seguidores. O plano era usar o apoio do Brasil e colocar a nossa liderança contra seus opsositores na tentativa de voltar ao poder.

Zelaya errou ao ferir a constituição de Honduras e usar a malandragem para se manter no poder, foi deposto e o erro do governo interino foi expulsá-lo. Deveria ser ao menso preso. Agora virou o rebengue que aí está. Mas ainda assim acredito na posição do presidente Lula. O Brasil faz áquilo que qualquer país do mundo faria. o que me estranha é cadê os candidatos oficiias ao poder, Ciro, Dilma, serra, Aécio, Marina que não diz sequer um palavra sobre o assunto?

Fogem do tema ccomo o diabo foge da cruz...

E, mais uma vez, parabéns ao autor por tocar num assunto tão delicado e importante para debater e ao Neto pelo coragem de se expor, que muitos não tem.

Roberto Hyra disse...

É incrível como uma pessoa que se diz instruída não sabe sequer apresentar sua tese e escrever um ponto sobre um is.

Entretanto, o pior ainda não é isso.
Pior é ver blogueiros e blogueiras juízas, doutoras e advogadas, que se 'acham' o exemplo da democracia e do respeito não terem sequer a coragem de se rexpor ao dizer que tem uma opinião contrária a alguem.

Como é ridícula a farsa.

É por isso que votei em Lula, e voto no candidato dele seja ele ou ela um poste. E sem medo. hehehe

Bea - Compulsão Diária disse...

Pronto!
Metem os pés pelas mãos e o Saeny corre pra descaracterizar;))
Essa foi uma sacada sua que poderia ser discutida aqui. Achei genial sua interpretação.
Eu não sou tão rápida quanto você nem você é tão rápido qto eles;))
Que lástima.!
Enfiaram o pé na jaca.
Dói ver tudo isso.
Pastelão de quinta categoria desses palhaços sem graça.
Beijo e admiração de sempre