Pesquisar neste blog e nos da lista

quarta-feira, junho 10, 2009

Curtas e nem tão grossas

AUTO_lute

Lute, Hoje Em Dia, MG

  • O André Wernner, no comentário do meu último post e no seu próprio blog matou a charada: Fazer obras de infraestrutura nada mais é que obrigação de qualquer governo, é para isso também que pagamos impostos. A criação do PAC foi apenas uma jogada de marketing da turma do Zé Göebels Dirceu para que o PT/governo/Lula capitalizasse politicamente o que fizesse por obrigação. Por enquanto a coisa não está dando muito certo, uma vez que apenas 3% das obras foram concluídas e várias inaugurações foram de coisa alguma, mas em 2010, com a campanha da terrorista nas ruas, pode ser que haja uma aceleração. Daí uma notícia boa e uma ruim: a boa é que poderá ser feita aguma coisa no país em que infraestrutura é apenas para discurso eleitoral; a ruim é que qualquer inauguração será creditada à terrorista.

 

  • Por que os soldados trocaram tiros na Granja do Torto? Um deles deve ter falado bem de Lula e Jobim.

 

  • Recessão técnica, seja lá que eufemismo seja esse, e inflação de alimentos triplicada em maio. O boçal ainda vai dizer que é só marolinha?

 

  • O gerente de uma agência do Bradesco em Medeiros Neto, Extremo Sul baiano, sofreu um acidente grave e está em coma com traumatismo craniano e pulmão perfurado. Encontra-se hospitalizado num hospital de Eunápolis que não conta com recursos mais avançados. A família requereu ao Saúde Bradesco a remoção do senhor por UTI aérea para receber atendimento em centro mais avançado. Surpresa! O seguro não autorizou a remoção. É revoltante! Os caras cobram altos juros e taxas, ganham fortunas, o rapaz trabalha com seriedade a ponto de ser promovido a gerente e na hora que precisa de ajuda, esta é negada. Revoltante!

 

  • O município de Santa Cruz Cabrália, onde Cabral aportou, é pequeno, tem apenas 33 escolas municipais. Nessas 33 escolas existem apenas dois professores graduados em matemática. Por exigência legal, o município fez convênio com o Ministério da Educação e montou um curso de formação de professores. Foi formada uma equipe com um dos professores graduados – restando apenas uma em sala de aula –, pedagogo, técnico, tudo certinho. Para essa equipe foi disponibilizada sala, um computador e salários dignos. Tudo bonitinho. No papel. O computador quebrou e não foi reposto há três meses, os professores a serem capacitados não têm horário diferenciado para assistirem às aulas, não há incentivo por parte da Secretária Municipal de Educação para a realização do curso. Enfim, nada acontece. A equipe passa o dia olhando o mar da janela da sala, batendo papo, estudando para outros fins, lendo, discutindo futebol… Pelo menos os salários são honrados em dia.

 

  • Quer saber? Serra está certíssimo. Se o governo federal inibisse as invasões de sem terra, funcionários, índios ou quem quer que seja em propriedades públicas do mesmo modo que Serra inibiu o vandalismo de alunos (estudantes é coisa mais séria) na USP, talvez o país não fosse essa chacota que é.

 

©Marcos Pontes

11 comentários:

Neto disse...

O problema do Serra não está na ação de seu governo está no seu discurso. Ele já discursou muito sobre fazer isso ou aquilo e o que concluiu até agora foram, tão somente, nas areas priorizadas da elite - segredo da sua popularidade para 2010. Cadê o rodoanel, e tantas outras obras prometidas de campanha?... O trânsito em sampa ainda é um caos.

Lamentável o incidente com o gerente de banco. Chega a ser até desumano saber de uma notícia dessa. O Bradesco, como tantos outros bancos, só pensam em lucros, lucros e lucros. E até os seus próprios funcionários recebem a negligência.

O fato do PAC não vingar também diz respeito a imensa burocracia que existe no Brasil atualmente. Tem obras lá no papel que são da época de FHC mas, imagine construir algo no Amazonas com as tantas licenças disso e daquilo que se precisa para construir. Chega o ano de 2050 e nada é feito.

O governo, como sempre, valoriza muito o esteio do PAC mas ataca os gargalos do país pelo flanco errado.

Daíza disse...

vixe como tá bonito o 'esculacho'!
revoltante mesmo o caso do rapaz acidentado. isso é caso de polícia! negar o direito de viver a um doente é crime e acho que neste caso, o Estado deveria arcar com as despesas por culpa da sua incompetencia. se fosse um daqueles que 'tem poder' a essa hora algum helicóptero já teria alçado voo para transportar o pistolão às custas do contribuinte.
afffffffff
beijooooo

Bea - Compulsão Diária disse...

Mistérios, Marcos, mistério na granja. Os palácios são cheios deles. Sobretudo nesse aí. O nome já é ruim - Torto Dã;)

Quanto ao Serra, nada errado nele. A Usp é um reduto de petralhas. todos fazendo há décadas a caveça de jovens. O fato de Serra ter sido da Politécnica pode explicar. Diante dos ex-barracões da fêfêleche qqer um perde a paciência.
Eita povo ruim de política de discurso de tudo.
A FEA, a Poli a Pinheiros todas em aula e a fefeleche fede!
Pau neles pq ng mais aguenta aquilo.
São péssimos. Não produzem e ganham.

Recessão tech? that' s it.! O mundo na frente e o molusco semianalfabetto moscando .

Saúde bradesco!!!
que vergonha! ainda semana passada minha ginecologista aqui de Eunápolis sugeriu esse plano pra que eu não me visse desamparada porque aqui Amil, Lincx ou Omint..nem pensar. São planos que não entram aqui. Preferem a Unimed e saúde Bradesco.
Agora vc imagine, se o gerente do grupo é mal tratado o que farão comigo?
é preciso rever esses planos de saúde. quem sabe o Serra tem peito?

E agora, Marcos?

E desejo a você uma excelente reunião na Câmara municipal com a secretaria de educação daqui de Eunápolis que é uma cidade simples mas , parece-me a mais séria da região.;))

Magui disse...

A vida continua sem ou com os políticos.Este crime na Granja do Torto é de preocupar porque dizem que a seleção dos policiais para prestarem serviço lá é muito completa.

Blog de um Brasileiro disse...

concordo que o Serra está certo pois não acho que seja democracia invadir instituições. Sou adepto de esfregar fezes na cara de políticos bandidos.
Validar os boçais uspianos é validar os sem terra que invadem o que é público e privado

Anônimo disse...

O Serra como v. bem disse fez muito bem em endurecer com os carteirinados dos sindicatos que recebem do presidente para fazer essas badernas. Ponto para o Serra.

Carlos Caldas disse...

Ops, o comentário anterior "anônimo" foi meu. Não sei o que houve...
Abraços, Carlos Caldas

PoPa disse...

Há uma piadinha antiga e politicamente incorreta sobre coisas impossíveis. Entre elas, "aposentado do Bradesco", numa clara alusão a que este banco não premia ninguém. Seus colaboradores são descartáveis. A prova disso é a situação deste pobre gerente que, muito provavelmente, já foi destituído.

Compulsão disse...

Ah, pra confirmar que desde os barracões dos anos 670 a féfélech não muda
vale a pena ver

http://www.youtube.com/watch?v=5Mai4S36a4g

abraços gerais

Cejunior disse...

Caramba... o Bradesco não atende nem seus funcionários ??!!??

E como falei no post acima, o Serra fez muito bem em acabar com baderna de gente que não quer nada.

Um abração.

Mario disse...

Para Bea - Compulsão Diária:

De fato, Serra foi politécnico nos tempos do movimento estudantil, porém, jamais concluiu o curso de engenharia civil. Ele formou-se bacharel em economia no Chile.

Mas, como disse o vagabundo cachaceiro, não é preciso estudar para "chegar lá".