Pesquisar neste blog e nos da lista

quinta-feira, maio 19, 2011

O silêncio dos milicos

milico

Uma das funções constitucionais das Forças Armadas é garantir a segurança nacional de inimigos externos; outra é fiscalizar o cumprimento das leis federais sendo, logicamente, a maior delas a própria Constituição.

Em relação à primeira, fica a desconfiança de que as FF.AA. não estão cumprindo seu papel. As fronteiras estão abertas e os militares de braços cruzados esperando ordens do ministro, conivente com a invasão da Amazônia por ONG e organizações internacionais pseudo-científicas e falsos religiosos.

Afirmações desse tipo poderiam ser tomadas como paranóia ou teoria conspirativa, tais afirmações, porém, são ratificadas pelas muitas evidências e provas cabais de tráfico de espécimes da fauna e flora para estudos no exterior, tráfico de riquezas minerais, cooptação ideológica de povos indígenas, mineração ilegal, contrabando de entrada de drogas e armas e de saída de carros roubados, ouro, diamante e mogno, apenas para citar alguns crimes corriqueiros e ignorados pelas autoridades.

Inadmissível que o Exército, para ter acesso a áreas indígenas tenha que ter autorização da FUNAI, caracterizando a divisão do país em dois Brasis, um físico e outro das instituições civis que tutelam índios e invasores, como se fosse cidadãos privilegiados em direitos, colocando sob as asas corruptas do governo federal os intocáveis das nações dentro da nação.

Manter a integridade do território nacional é uma das atribuições das Forças Armadas, mas apenas nas letras pequenas da lei. Quando essa missão depende do humor de um ministério burocratizado e inoperante comandado por um ministro prepotente e, ao que tudo indica , inepto para as funções executivas, além de comprometido com esse politicismo correto, as mãos dos militares ficam algemadas e suas funções legais truncadas.

No campo interno, a Constituição vem sendo estuprada quase diariamente há oito anos e meio e os generais matem-se amordaçados, seja por medo, seja por cumplicidade. O último bastião de moralidade com que poderíamos contar está mudo e acuado nos quartéis desaparelhados, Aliás, desaparelhados e sucateados propositadamente por um governo formado por inimigos históricos das Forças Armadas.

Dia desses um general reformado me desabafou: “o mal do Exército é que é legalista demais”. Assim, fora do contexto, tal afirmativa reflete um golpismo velado por considerar que a legalidade pode, em alguma circunstância, ser excessiva. Mas, entendendo-se o ponto de vista desse general, que pediu a reforma por não conseguir ser comandado por um civil despreparado e ex-terrorista revanchistas, com o qual concordo, esse legalismo refere-se à determinação de que o militar só deve agir sob as ordens do comandante geral, o civil de esquerda, sem qualquer vínculo anterior com a caserna. Exigir dele decisão ou descumprir ordens estapafúrdias é insubordinação grave punível pelo Código Disciplinar Militar.

Enquanto o governo e seus miquinhos amestrados rasgam a Carta Magna, Jobim convive com os desmandos e os generais, brigadeiros e almirantes se acovardam atrás de suas estrelas com medo de serem apedrejados pelo esquerdismo que se alastra mais como burrice em acampamento do MST.

No meio desta selva, sem cão e sem espingarda, perdidos, vemos a parada passar em surdina, sem ver qualquer vontade civil ou militar de se colocar a tropa em ordem unida e o país em ordem constitucional, tudo em nome de um progresso de mentirinha.

 

©Marcos Pontes

15 comentários:

Leo Fernandes disse...

Quem dera que alguém de peso se indignasse com suas palavras, mas pelo que vejo os que poderiam fazer isso estão mesmo amordaçados. Mas corre perigo sim de ser prejudicado, não pelo homens Verdes, mas pelos Vermelhos estes sim são traiçoeiros verdadeiros inimigos da Nação. A inversão de valores é tamanha que na surdina estão amordaçando a Soberania de um povo, a Carta Magna que nos garante e nos liberta é aviltada dia a dia, com o consentimento dos que sabem das reais desgraças vindouras e da incapacidade mental dos inocentes!
De um lado as hienas famintas por ouro e poder, ao lado destes os que se locupletam dos restos e diga-se de passagem são Restos consideráveis, e os pobres diabos que se contentam com o Sorriso Falso do Lula as Falas estranha da Dilma só por que é Mulher...
Então que cigarro mesmo você usa....
Léo Fernandes

Ajuricaba disse...

Texto da poha meu amigo. Reverbera alguns que escrevi lá na Tribo dos Manaós em que cobro a mesma coisa. Mais ação e cobrança dos militares, não prá fazer revoluções ou coisas assim, que sabemos que não funcionam; mas para que as aparelhem (aqui escrito na expressão agregadora da palavra) para exercerem sua função constitucional, tão bem descrita por você.

Sergio Franzão disse...

Pegou na veia.. Cutucou com vara curta.

Sergio Franzão disse...

Pegou na veia.. Cutucou com vara curta.

Luiz disse...

Se preocupa não, o que pode dar cadeia, é falar do PT, falar do exército... bem estes agora são apenas funcionários públicos, se adocicam com um aumentinho... ou mesmo sem ele.

Beatriz disse...

Marcos,
Excelente! vc mostra que sabe o que é ordem. e , se vc me permite, vamos pensar: em que mundo , em que situação de ameaça democrática como a que vivemos é preciso esperar provas legais de que as Farc, por exemplo, estão agindo dentro do país? Será que as provas que os serviços de intelig~encia brasileiros têm destes movimentos suspeitíssimos...não servem pra nada?
será que esses generais esqueceram da estratégia? Até quando assisitremos esse imobilismo por parte de quem é pago pra nos defender dos desvios democráticos?
Um choque, uma demonstração de forçam à sociedade civil demorou. Chega de ver os militares caçando bandidos no morro do alemão...enquanto Sergio cabral e seus cafagestes amestrados liberam geral.
CHEGA!

Beatriz disse...

Mais uma coisa, Marcos!
Não tema. Não aceite que insunuem que vc corre perigo. é preciso gritar ...SE ERGUES DA JUSTIÇA A CLAVA FORTE,VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA,NEM TEME, QUEM TE ADORA, A PRÓPRIA MORTE.
Parabéns pela coragem, pela lucidez. Vc é brilhante

Editora disse...

Fato...Precisava ser dito...Imprimir e distribuir (aí irei presa também...Aviso a todos que fumo Free)
Este país perdeu rumo, prumo e elles ainda continuam sem freio nos cofres públicos...

marcia1907 disse...

a-mei. e a última frase é de uma lucidez impresionante!

Aparecido disse...

Para onde querem nos levar não consegui identificar ainda, pois custa-me a crer que os EUA assistirão passivamente que o maior e mais importante país do hemisfério sul se esquerdize por completo.

Também não creio que os que tem essa intenção, os esquerdopatas, não estejam atentos a isso. Se estiverem, a coisa é, e, será pior do que minha parca capacidade de avaliação política consegue imaginar.

Enquanto o mundo gira, pouca gente prestou atenção a isso:


General Heleno passa para a reserva e defende a ditadura.
No dia em que trocou a farda pelo pijama, em uma solenidade quase secreta no Quartel-General do Exército, o general Augusto Heleno citou em seu discurso a morte do pai, que chegou ao posto de coronel, numa defesa da ditadura militar, imposta após o golpe de Estado de 1964 que, segundo afirmou, era “contra a comunização do país”.
Como se falasse com o pai dele, Heleno disse: "Lutastes, em 1964, contra a comunização do país e me ensinastes a identificar e repudiar os que se valem das liberdades democráticas para tentar impor um regime totalitário, de qualquer matiz".

Sem a presença do ministro Nelson Jobim, o ex-general deixa a corporação após ocupar o primeiro comando brasileiro da Força de Paz da ONU no Haiti e exercer o comando do Exército na Amazônia, de onde foi afastado após uma série de polêmicas entrevistas, desautorizadas por Jobim e pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sobre a presença dos arrozeiros em reservas de mata nativa na Amazônia Legal. Desde a queda, ocupava um posto burocrático no Departamento de Ciência e Tecnologia, que passou a ser ocupado pelo general Sinclair James Mayer. A passagem de comando foi realizada perante o general Enzo Martins Peri, comandante do Exército.

Heleno saiu reclamando que, após ser nomeado para um posto hierarquicamente inferior ao que exercia antes das declarações à imprensa, “ouviram que eu estava sendo colocado na geladeira profissional. Sem dúvida, o DCT nada tinha a ver com meu perfil e minhas aptidões. Por decisão do comandante supremo, eu me tornara o exemplo típico do homem errado no lugar errado”. Ele se referia ao ex-presidente Lula como responsável pela perda do comando.

Fonte: Correio do Brasil

nadiavida disse...

Diante do que já foi dito só me resta recomendar a leitura do texto "Um Estado dentro do Estado" do escritor e comentarista Heitor De Paola publicado no blog do dr. Marco Sobreira, que está dividido em duas parte: http://blogdodrmarcosobreira.blogspot.com/2010/08/um-estado-dentro-do-estadodossie-mst.html e parte 2 http://blogdodrmarcosobreira.blogspot.com/2010/08/um-estado-dentro-do-estado-dossie-mst.html

Ele diz : "....enquanto enfim, ficam discutindo o sexo dos anjos, vai-se construindo o novo Estado brasileiro, um Estado dentro do Estado que aos pouco vai assumindo o poder real e efetivo da Nação. Com o beneplácito da mídia corrupta que emudece para dar tempo a que se consolide; com a apatia dos chefes militares que sabem que o Exército oficial está sendo sucateado para ser substituído pelo futuro Exército Popular de Libertação com o desvio de recursos que deixa o oficial à míngua, enquanto enriquece o outro; com o mutismo dos partidos “de oposição” (faz-me rir!), o novo Estado permanecerá invisível até que seja tarde demais para qualquer reação..."

É isso.... Texto exemplar... Não se preocupe, somos um país democrático..... Somos????? rsss

Brasigrega disse...

Qual é mesmo a marca que vc fuma???
kkkkkkkkk

Zamenhof disse...

Meu amigo, parabéns pelo texto lúcido e profético. Essa Constituição foi vilipendiada, usurpada, instantes antes de ser promulgada, pelos Constituintes de 1988. Que me perdoe o Dr. Ulisses Guimarães, onde estiver, mas essa Constituição deixou de ser cidadã, quando o Deputado Nelson Jobim, alterou o seu texto, entre sua aprovação e a promulgação. Num ato soturno e solitário (?!)

to-deolho disse...

Caríssimo Marco

Mada a acrescentar além da tristeza que abate em cada um de nós que lutamos pela decência neste País.

Marisa Cruz

MC.EAGLE disse...

Excelente, ainda não o havia lido mais esse texto congrega várias idéias que, diversos oficiais-generais partilham mas, por causa do Código de Conduta Militar não podem abertamente demonstrar, ou propagar. Fato que um ministro sem experiência na caserna, muitos dos quais oriundos de facções antes combatidas pelo estado e outros recalcados com a sub posição de outrora, agora querem ir à desforra com o corpo de guerra desse país, as fronteiras são vituperadas pelos "hermanos" amigos de meia dúzia deles, que agora travestidos de "ideologistas" apenas pra não dizer, caudilhos de segunda categoria, nos infringem tamanha vergonha aos honrados homens que, juraram "defender essa nação com o seu sangue, a qualquer tempo e contra qualquer inimigo, nacional ou estrangeiro, em território brasileiro ou no exterior". Tempos difíceis senhores, tempos nos quais temo que a própria democracia esteja ameaçada e relegada a um pensamento do passado. Muito forte, mas muito coerente.