Pesquisar neste blog e nos da lista

segunda-feira, agosto 21, 2006



Quando eu estudava no colégio interno em Manaus, só podia viajar nas férias para visitar a família, em aviões da FAB. Calma, não traía meus princípios, não era nenhum tipo de beneficiamento com dinheiro público, era direito. Meu pai era do Exército e eu estudava em colégio militar, o que nos dava direito a esse tipo de transporte, principalmente na Amazônia, onde o transporte era precário, perigosos, caro e demorado.
Pois bem, por ser gratuito, nós tínhamos que esperar dias por uma vaga, acordando de madrugada todos os dias e ficando horas na Base Militar. Aí comecei a desgostar de coisas grátis.
Se sou convidado para uma festa "boca livre", normalmente me alimento antes. Sei que lá haverá briga por um pedaço de carne ou um copo de cerveja que, normalmente, é servida quente. Na verdade, só vou a esse tipo de festa se o anfitrião for amigo o suficiente para que eu fique com peso na consciência se não comparecer.
Virou dito popular o tal de "de graça até injeção na testa". Pra mim, de graça nem férias na Europa. Quando você paga, pode exigir, reclamar, pedir reparação. Esse, sim, é um dos meus princípios.
Só que me traí. Um grande amigo se ofereceu para reparar meu pc, que andava meio capenga, coisas da idade, entendem? Por cima, ainda me deu de presente um gravador de cds, coisas que há tempo eu gostaria de comprar. Tentei driblá-lo, mas ele insistiu. Cedi. Isso foi na sexta-feira, dia 18.
No final da tarde ele me disse que só poderia entregar no sábado. Já não gostei.
No sábado disse que estava cheio de emergências, que só poderia me devolver hoje, dia 21. Bufei de raiva, mas me contive. Ele estava me fazendo um favor, eu não poderia ser tão ingrato. Marquei com ele ir pegar às 17:30 h, depois do expediente. Ele se ofereceu para trazer até minha casa, mas eu já achei que seria abuso da minha parte.
Eu já estava dando a última aula da tarde, me arrumando para sair correndo antes que o comércio fechasse, quando minha coordenadora me chamou à sala dela. Pediu que eu esperasse mais uns cinco minutos depois da aula. Ela havia agendado com a mãe de uma aluna que queria conversar comigo sobre as notas baixas da filha. "Pô, Eliane, logo hoje? Tô em cima da hora", "vai ser rapidinho, espera". Cá pra nós, conversar com pais de alunos ruins é um saco. Eles vêm sempre com a idéia fixa que o filho está mal por culpa do professor. E eu não sou de correr de briga.
Faltavam quinze para as seis quando ela me diz que a mãe está me esperando na sala da recepção. Quando chego lá, não havia mãe nenhuma. O motivo é aquela segunda foto lá de cima. Festa surpresa dos professores pelo meu aniversário. Festa de graça. Que coisa! Cantaram os parabéns, apaguei a vela e saí correndo. Por sorte cheguei a tempo de encontrar a loja aberta. Essa festa de graça quase me deixa ainda mais estressado.
Bom, chego em casa, ligo o pc e... Todo desconfigurado! Tive que reconfigurar tudo, baixar os programas que normalmente uso e, surpresa, o Blogspot, o Orkut e outros sites só abrem pelo Fire Fox, não atendem ao Internet Explorer. Até eu descobrir isso, já estava quase atirando o computador pela janela. Sorte que a janela que fica em frente a ele é pequena demais para isso.
De graça, nem lua de mel na Europa. E tenho dito!

Um comentário:

Incertezas do coração disse...

Em que colégio vc estudou aqui em Manaus? Por favor me responda, eu preciso muito, fico agradecida se puder.